Entendendo o funcionamento do P2P Lending

Estou me empolgando em escrever no blog, inicialmente pensava em fazer ao menos 1 post por semana, já estou no quarto post em apenas 3 dias, escrever é viciante kk

Entre as minhas pesquisas recentes sobre investimentos, no mês passado descobri essa modalidade, originada no exterior e chamada de P2P Lending, aqui conhecido também como empréstimo coletivo.



Basicamente é isso mesmo que você imaginou: um grupo de pessoas investidoras com o mesmo objetivo em comum emprestam dinheiro a uma empresa, que por sua vez tem como compromisso honrar e devolver mensalmente esse empréstimo na forma de parcelas. Entre eles existe um intermediador, que é um site que cobra geralmente apenas da empresa tomadora do empréstimo (na Biva precisa pagar uma taxa infelizmente, nas outras duas que pesquisei não vi nada sobre isso) um pequeno valor. Elas ganham também de outra forma, como constatei no site de uma delas:

Ao menos eles são transparentes

Como é de se imaginar esse é um investimento de risco, já que a empresa pode quebrar ou dar o calote, a média de inadimplência normalmente nos sites que pesquisei costuma ser de menos de 4%, ou seja, a cada 100 empresas nem 4 dão o calote, mas sim pode acontecer e sim, pode ser maior que esses 4%, se fosse algo certo não seria de risco, e consequentemente não teria retornos tão bons.

Como vocês devem imaginar essa modalidade não é garantida pelo FGC, a propósito não existe garantia real que você irá receber o dinheiro investido com juros, é bom deixar isso claro para as pessoas.

Se acontecer o calote é feito um processo judicial em conjunto com todos os investidores no nome do fiador desta empresa (toda empresa para fazer o cadastro no site como tomadora do empréstimo precisa de um fiador, ou seja, de uma pessoa jurídica garantidora que o valor emprestado será pago).

Os sites que pesquisei a respeito aqui no Brasil foram:

BIVA - Uma mais antiga no ramo que as próximas a seguir, ela além de fazer o P2P também conta com crédito estudantil, mas diferente das outras que pesquisei cobra taxas do investidor; Tem um blog interessante tirando muitas dúvidas de iniciantes, linkado no início do post. Conta com rentabilidade de até 245% do CDI.

Um exemplo de investimento visto hoje no site da Biva, quem aí quer 20.4% ao ano?

Urbe.Me - Outra plataforma de investimento, conta com apoio constante via e-mail deles pra tirar todo tipo de dúvida, achei o site bom mas muito fraco de investimentos, dos três é o que vejo com menor número de empresas pra investir, as vezes precisa esperar semanas ou meses até aparecer uma nova oportunidade de investimento; Conta com rentabilidade de até INCC + 14% a 19,8% ao ano e mínima de 95% do CDI, pouco em minha opinião pra um investimento de risco, mas posso estar exagerando na avaliação inicial.

Clique para ampliar, esse foi o último investimento que vi, a quase 1 mês atrás

Nexoos - A que tem a melhor rentabilidade entre as três, maior número de empresas para investir e conta com suporte via e-mail assim como a anterior. O chato é que pede aporte mínimo de R$ 6.000,00 para começar, mas que pode ser dividido em até 3 aportes de R$ 2.000,00 cada para diversificar o risco. Tem um blog muito útil para iniciantes. Conta com rentabilidade de até 35.9% ao ano, interessante né? Não a toa foi a que mais me interessei.

Taxas de retorno interessantes, com obviamente maiores riscos

Com certeza deve ter mais sites que fazem P2P Lending no Brasil, mas estes três são os mais conhecidos, ao menos os que achei com maior facilidade pesquisando a respeito. Dos três citados o que mais me interessou foi a Nexoos, porque quase toda semana tem uma empresa nova precisando de empréstimo, aumentando assim o fluxo de caixa, apesar do lado ruim de pedir 6K logo de cara do investidor. Outra coisa que eles tem tipo um programa de recompensas, quanto mais você investe mais vai subindo no "ranking" deles, a vantagem que vi por enquanto foi de você ter acesso aos investimentos 12h antes do restante do pessoal, não pesquisei muito a fundo se tem mais benefícios.

É aquela velha história da cesta com ovos, é preciso diversificar, todos sabem disso. Como forma de diversificação em renda variável penso em começar ao menos em uma delas e com o retorno mensal dos valores reinvestir em outros investimentos igualmente arriscados, como FII e Ações, futuramente (após limpar o nome).

Gostaria muito de saber a opinião de vocês, caros blogueiros investidores, alguém já participou de P2P Lending, o que acham? Já conheciam? Pra mim é algo muito novo, apesar de já existir a anos lá fora, mas só ter começado a se popularizar aqui a menos de 1 ano praticamente.

É isso, artigo gigante, se continuar neste ritmo faltará assunto até o final do ano kk..

Abraço.

Comentários

  1. Muito bons seus textos. Obrigado pela empolgação, hehehe
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk obrigado pelo comentário Sequoia, estou com muitas ideias pra escrever aqui e em 8 dias acabei escrevendo 7 artigos, não imagino estar no mesmo ritmo futuramente, mas é bom porque gosto de escrever e o feedback é sempre bom.

      Abraço.

      Excluir
  2. Olá IP, belo site e belos artigos! Bom começo esse o seu! Esses P2P Ledings estão com taxas de retorno altas e prazos muito longos, os considero de altíssimo risco.

    Eu, no seu lugar, investiria um percentual muito baixo nisso. (Máx 10% da carteira).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiago, obrigado pelo comentário!

      Esse P2P é arriscado mesmo, vou ir bem com calma neles (falo mais sobre isso neste artigo: https://investidorprogramador.blogspot.com.br/2017/09/renda-passiva-precisamos-ir-atras-dela.html).

      Abraço.

      Excluir
  3. Legal esse P2P, não sabia que existia. Me interessei mais 6K é pesado para o risco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante mas a partir de 1k você já consegue investir, ainda sim é um valor alto, é bom pra diversificar a carteira mesmo.

      Abraço.

      Excluir
  4. Olá IP, tudo bem? Iniciei com o Biva no começo de setembro, coloquei 5K em um dos portfólios deles. Não recebi nada ainda, mas enxergo como uma oportunidade de diversificação em renda fixa.

    Sem denegrir em nada o conteúdo do seu post (muito bom, por sinal), vale lembrar que o que se chama de P2P lending no Brasil é muito diferente do que se faz nos EUA. Aqui, por causa da legislação, o modelo é mais complexo, e tem que incluir uma instituição financeira. Mas ainda assim é um modelo interessante e espero que se dissemine no Brasil com o passar do tempo. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiz, tudo bem?

      Obrigado pelo comentário e pelo relato com o Biva, eu tinha lido sobre o P2P que no Brasil é um pouco diferente mesmo mas resolvi não colocar isso no post pois não tinha muito conhecimento a respeito.

      Abraço.

      Excluir

Postar um comentário